Rebelde

orebelde.com.br

Não vamos nos adaptar!

Não vamos nos adaptar!

O mundo está num momento muito crucial. O ser humano está em um momento muito forte, porque todo mundo está preocupado em agradar todo mundo. Agradar gregos, troianos, fenícios, não sei mais quem. Todo mundo quer ser legal. E isso de querer ser legal não é verdadeiro. As pessoas não são mais espontâneas. A internet é aquela lambeção. Aquelas redes sociais – graças a Deus eu não tenho – mas é assim. O ser humano é sociável e adaptável, mas ele se adapta ao meio ambiente e não à loucura das pessoas. O que está acontecendo é que nós não estamos nos adaptando ao meio ambiente. Ao contrário: nós agredimos o meio ambiente e estamos nos adaptando à loucura; à loucura das empresas, das indústrias, dos políticos, da internet… eles querem isso, aquilo e aquele outro. E eles conseguem ir levando, inclusive as nossas vidas. Eles nos botam a trabalhar quanto tempo eles quiserem, em lugares insalubres. Porque é tudo bonitinho, mas tudo morto. Tudo com luz branca, uma loucura total! Ou hoje em dia com os trabalhos home office, onde te vendem a ilusão de que você tem mais conforto e liberdade quando na verdade invadem a sua casa, a sua vida, com mais trabalho.

Você acaba escravo trabalhando mais tempo e cada vez mais isolado, solitário.Vamos acordar! Vamos discordar! Eu tô aqui escrevendo pra que vocês discordem. O Namastê é um grande ponto de discordância. Quando nós tivermos 100% de concordância, estaremos totalmente equivocados, errados. Nós vamos ter muitas discordâncias, porque nós não queremos ser unanimidade em nada. Nós queremos ser do nosso jeito e aí tu pode usar a tua verdade. Nós não estamos querendo angariar pessoas. Nós não vamos formar um exército, tomar conta de cidades. Nada, nós queremos é viver a nossa vida! E propiciar para todas aquelas pessoas que também têm esse impulso de buscador que quer buscar uma vida natural, mais espontânea, que possam ter acesso a isso. Essa é a nossa viagem, essa é a nossa história.

Não me importa saber se lá no Facebook vão avaliar mal o Namastê. Qual é o problema? Eu vou puxar o saco de uma pessoa pra ela me avaliar bem? Eu vou falar a minha verdade! Agora eu tenho que ser a favor disso, a favor daquilo, e acaba sendo tudo mentira. As pessoas se forçam a ter uma postura, e acabam não sendo elas mesmas. Quantos preconceitos você esconde porque sabe que é errado e acaba colocando uma fachada de bem resolvido, quando na verdade aquilo te come por dentro se mantém dentro de ti?

A ascensão de Bolsonaro se deu porque há anos essa direita se escondia. Aí quando ela veio, veio com tudo e trazendo muita tristeza pra vida. Então, queria que tu soubesse, que olhasse mais profundamente pra vida. Eu não vou me adaptar a ser não-sexual. Não existe isso, minha natureza é sexual. Nós nascemos de uma transa e não temos como fugir disso. Eu não vou me adaptar a ser sem sentimentos. Não, eu vou ter sentimentos! Eu não vou ficar sem a raiva, sem a tristeza, sem o medo, sem o amor, sem a alegria! Eu quero viver intensamente isso tudo e aprender com isso. E não me adaptar: essa emoção pode, essa não pode. Isso é certo, isso é errado. Nesse sistema de adaptação tem tudo quanto é loucura. A criminalidade só aumenta, a estupidez e a grosseria aumentam absurdamente. De que adianta internet, Facebook, milhões de transmissões e tudo sem conteúdo? Então o Namastê tá dizendo isso pra você: é preciso retomar a nossa humanidade.

Todo mundo quer ser legal, agradável

Eu não esqueço de um filme que você deveria assistir: “Instinto”, com o Anthony Hopkins. É fantástico! Veja o Instinto. Pegue o seu filho, sua parceira, seus amigos e vejam esse filme. Vai mexer com teu coração. E se você quer um exemplo disso, vai ver os animais ali no zoológico como é que estão… Não precisa ir ao zoológico, vai em qualquer prédio comercial, observa a desumanização das pessoas. Não é que as pessoas querem isso, elas são forçadas a isso. Porque parece que isso é o certo, isso é adaptável, isso é o aceito. Então é isso que se faz. As pessoas estão simplesmente se desconectando dos seus instintos humanos para se transformarem em adaptáveis, sociáveis, palatáveis ao sistema que nos engole.

Não quero mais derrubar sistema de nada, eu quero é viver a vida, quero resgatar isso. Se você leu “Admirável Mundo Novo” de Aldolph Huxley: a coisa tá parecida, mas muito parecida mesmo. A onda é muito essa. Então, se você é contra o Namastê, que seja contra. Ninguém precisa pensar como nós. Agora, eu permito que você pense. Permita que nós pensemos. Agora se tu fica perturbado com a espontaneidade que a gente tem, isso diz muito de ti! E acho que todo mundo tem que começar a resgatar isso. Então nós somos isso, um resgate da humanidade. Uma afirmação da humanidade, em busca cada vez mais da nossa naturalidade. No dia a dia nós vamos descobrindo isso. Por favor, veja “Instinto”!

Related Posts